fernando-pessoa 

 

TENHO PENA E NÃO RESPONDO

 

Fernando Pessoa

 

Tenho pena e não respondo.
Mas não tenho culpa enfim
De que em mim não correspondo
Ao outro que amaste em mim.

 

Cada um é muita gente.
Para mim sou quem me penso,
Para outros --- cada um sente
O que julga, e é um erro imenso.

 

Ah, deixem-me sossegar.
Não me sonhem nem me outrem.
Se eu não me quero encontrar,
Quererei que outros me encontrem?

 


 

CARTAS DE AMOR

 

Fernando Pessoa

 

Todas as cartas de amor são
ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
ridículas.

 

Também escrevi, no meu tempo, cartas de amor
como as outras,
ridículas.

 

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
ridículas .

 

Quem me dera o tempo, em que eu escrevia
sem dar por isso, cartas de amor,
ridículas

 

Afinal,
só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
ridículas...

 

Poemas Escolhidos - 20/10/1935

 


 

DÁ A SURPRESA DE SER

 

Fernando Pessoa, do "Livro do Corpo"

 

Dá a surpresa de ser.
É alta, de um louro escuro,
faz bem só pensar em ver
seu corpo meio maduro.

 

Seus seios altos parecem
(se ela estivesse deitada)
dois montinhos que amanhecem
sem ter que haver madrugada.

 

E a mão do seu braço branco
assenta em palmo espalhado
sobre a saliência do flanco
do seu relevo tapado.

 

Apetece como um barco.
Tem qualquer coisa de gomo.
Meu Deus, quando é que eu embarco?
Ó fome, quando é que eu como?

 


 

MID: Anos dourados - Tom Jobim  

 

 
 
  Site Map